Arquivo da tag: Cum Panio

Ateliê de pão artesanal faz tour-degustação

Luciana Martins e Camilo Gazzinelli estudam os processos que permitem produzir os mais diversos estilos de pães há 11 anos. O casal diz que se interessou pelo assunto antes da fermentação natural dominar as padarias especializadas e começar a aparecer em cardápios de restaurantes e até gôndolas de supermercados.

Ateliê de pão artesanal

FOTO: Nidin Sanches/Estadão

Os dois faziam pães em casa, por diversão, até que a ex-professora de línguas e o arquiteto começaram a levar a prática a sério. Há dez anos eles abriram a Cum Panio, um ateliê de pães que funcionava em esquema bem mineirinho: os clientes tocavam a campainha e perguntavam o que tinha naquele dia. Só oito anos mais tarde é que decidiram ampliar a entrada da casa, transformando-a em loja para melhorar a visibilidade e atender os clientes. Deu tão certo que, além de um espaço para expor os pães no empório do restaurante Alma Chef, o casal está prestes a inaugurar uma nova loja no Mercado do Cruzeiro.

“Em 2003, passamos seis meses entre a Índia e a Europa visitando padeiros e fornos de mais de 600 anos de idade para aprender. Fomos à Grécia, Espanha, França, Itália, e voltamos cheios de receitas para testar aqui”, diz Camilo.

Entre as receitas, eles fazem baguetes au levain, um delicioso pão de chocolate, além de pain d’antan (que mistura farinhas branca, integral e de centeio) e o de zuchini, de textura macia com abobrinha italiana grelhada, azeite e ervas.

“Em quase todas nossas bases a massa descansa de um dia para o outro, para dar tempo para o agente fermentador trabalhar. Com isso, temos um ganho incrível de qualidade, texturas e sabores. Os pães duram até 5 dias sem nenhum aditivo químico”, garante o padeiro.

Com uma equipe de sete pessoas, ficou mais fácil atender o público e fazer testes. “Depois daqueles seis meses de viagens, já voltamos mais duas vezes para a Europa. A gente nunca para de querer aprender”, diz.
Quem visita a casa de pães pela primeira vez não resiste ao convite para fazer um pequeno tour pelos tipos de pão produzidos ali antes de conseguir decidir o que comprar. Há um espaço para degustar alguns deles, acompanhados de café, queijos e azeites vendidos numa outra ala da loja. “A pessoa vem para comprar uma baguete, mas acaba levando também alguma outra coisa, além de informações sobre pães”, afirma Camilo.

29 de outubro de 2014 | 19h27|
Por Redação Paladar / Rafael Tonon

Cum Panio, pelo 2º ano consecutivo…

…a melhor padaria de Belo Horizonte eleita pela Veja BH.

O Nosso muito obrigado!

comidinhas padaria Brioche com caféO brioche folhado (R$ 6,00 a unidade): receita francesa

Com quem você come pão? Quem é sua companhia? Com quem você divide sonhos e expectativas? Esse é o significado da expressão latina cum panio, que dá nome ao estabelecimento. No simpático imóvel, antiga propriedade de família, o casal Luciana Martins e Camilo Lima aplica as experiências das visitas a quase vinte países. Nelas, o ensinamento extrapolou as bancadas e os fornos. O modo como cada povo lida com o pão foi um extraordinário aprendizado. Enquanto na Índia, onde não se usam talheres, ele é item indispensável para levar o alimento à boca, na França está presente do início ao fim das refeições. Na Cum Panio, os pães são uma mistura de tudo isso, resultado de técnicas de fermentação e perfume para os apreciadores. O pain d’antan de azeitona custa R$ 35,00 o quilo e a baguete francesa, R$ 5,00 a unidade. Com avelãs na massa, o pão de figos sai por R$ 17,50 a unidade de 500 gramas. Se quiser aproveitar o agradável ambiente decorado com madeira, semelhante a um antigo armazém, combine o café expresso (R$ 4,00) com o brioche folhado (R$ 6,00 a unidade).

Rua do Ouro, 292, Serra, ☎ 3225-5246. 11h/19h30 (sáb. 11h/14h; fecha dom.; seg. e feriados). Cd: M e V. . Aberto em 2004.

comidinhas padaria Cum PanioA funcionária Emanuelle de Souza: simpatia e bom atendimento

 

Quer ver a matéria na Veja?

Cum Panio na VEJA

Cum Panio - A melhor padaria de BH

CUMPANIO

Oito anos depois de abrir as portas, o casal Luciana Martins e Camilo Gazzinelli resolveu ampliar a entrada da loja para melhorar a visibilidade da charmosa casa de pães localizada na Rua do Ouro, na Serra. Até janeiro, só quem tocava a campainha e esperava ser atendido podia levar para casa os maravilhosos pães artesanais, quase todos feitos com fermentação natural e muitos deles com farinha importada. Desde junho, depois de quatro meses de obras, ficou mais fácil encontrar o estabelecimento, e a Cum Panio figura, pela primeira vez, na lista de melhores de VEJA BH “Comer & Beber”. As delícias que a levaram ao pódio, no entanto, não são novas. Foram conquistadas pelos proprietários em dezenas de cursos mundo afora. “As receitas, qualquer um consegue na internet. Nós buscamos a vivência de cada uma dessas culturas”, explica Gazzinelli. Ao longo da última década, ele e a sócia passaram meses morando com padeiros da França, Itália, Portugal, Alemanha e Índia. O resultado são preparos como o pain d’antan (R$ 20,00 o quilo), que fermenta durante dois dias antes de ser assado, o irresistível pão de chocolate com avelãs e casquinha de laranja (R$ 15,00 a unidade, com 500 gramas) e a baguete francesa (R$ 4,50 a unidade), que permanece gostosa por até três dias.